Uncategorized

Agentes Indígena de Saúde trocam saberes tradicionais em qualificação promovida em São Gabriel da Cachoeira

Os Agentes Indígenas de Saúde (AIS) e os Agentes Indígenas de Saneamento (AISAN) que atuam em comunidades do Rio Negro participaram de intensa troca de saberes tradicionais durante curso de qualificação realizado na Ilha de Duraka, no município de São Gabriel da Cachoeira (AM). 

Participantes da Formação realizada na Ilha de Duraka – Médio Rio Negro no município de São Gabriel da Cachoeira (Am). Foto: FAS/Divulgação

O objetivo da formação, ocorrida de 12 a 14 de agosto, é melhorar o atendimento de quem vive nas comunidades. Participaram do encontro AISs e Aisams de 23 polos-bases do Distrito Sanitário Especial de Saúde Indígena do Alto Rio Negro (Dsei-ARN) e de dois polos-bases do Dsei-Yanomami (Inambu e Maiá). 

Realizada em parceria pela FOIRN, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Dsei-ARN e Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), a formação contou com 170 participantes, sendo a maioria AIS. 

Considerado o principal mediador da equipe multidisciplinar dos Dseis com a comunidade, o AIS é quem faz os primeiros diagnósticos do paciente para depois comunicar e acionar a equipe de saúde do pólo-base. Por isso, a formação continuada é tão importante. Nesse processo, a comunicação é uma etapa primordial do trabalho do agente. 

Com o curso realizado na Ilha de Duraka, os agentes puderam narrar suas experiências de utilização dos remédios da floresta e aprenderem ainda mais sobre a medicina tradicional indígena. A partir do encontro, eles poderão colocar em prática os novos conhecimentos no dia a dia das comunidades.

Essa troca de experiência resultou na exposição Saberes da Floresta, realizada pelos grupos de trabalho dos pólos-base. Os agentes reivindicam que esse material seja transformado em material de apoio a ser compartilhado com todos os agentes de saúde nas comunidades.

Exposição Saberes da Floresta – foi espaço de troca de saberes e conhecimentos sobre a medicina tradicional. Foto: Eucimar Aires/Foirn

A qualificação foi conduzida por dois conhecedores tradicional da região: a professora e artesã Cecília Albuquerque, da etnia Piratapuia, uma das fundadoras da Associação dos Artesãos Indígenas de São Gabriel da Cachoeira (Assai); e o conhecedor tradicional Ercolino Alves, Dessano. 

No ano passado, Cecília Albuquerque e Ercolino Alves já tinham conduzido, com as artesãs da Assai, o curso do uso de plantas tradicionais utilizados no combate à Covid-19 na região do Rio Negro. A atividade acabou resultando em uma cartilha desenvolvida pela Assai em parceria com a FOIRN e ISA. 

Dona Cecília frisou que o conhecimento dos povos indígenas do Rio Negro sobre a medicina tradicional é grande e diverso. “Muitas plantas que conheço e algumas que compartilhei aqui vocês já conhecem, muitas vezes com outros nomes e para outras doenças. Nosso conhecimento é diverso”, explicou.

Da comunidade Querari – Alto Rio Uaupés, o Acis Eduardo Gonçalves, da etnia Kubeo, destacou a importância da qualificação e da valorização do conhecimento tradicional. Ele ressaltou também a necessidade de qualificação voltada para os saberes da chamada medicina dos brancos ou ocidental. 

“O nosso conhecimento sobre as plantas medicinais é grande e sempre estamos valorizando. Mas precisamos também nos qualificar sobre a medicina dos brancos”, disse. 

Dario Casimiro Baniwa – Diretor da FOIRN foi um dos coordenadores da realização da formação dos Agentes Indígenas de Saúde. Foto: Eucimar Aires/Foirn

Sobre a demanda de novas qualificações, o diretor da FOIRN, Dario Casimiro Baniwa, reafirmou que a federação tem essa missão de lutar pelos direitos e buscar meios para garantir a saúde indígena diferenciada e de qualidade para os povos indígenas do Rio Negro, sendo que uma das ações para alcançar esse objetivo é qualificar os profissionais que estão na ponta, realizando as ações de atendimento primário. 

Ao longo do encontro foram abordados temas para o fortalecimento da saúde indígena, como:  Direitos Territoriais, Soberania Alimentar e Educação, Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas, Conhecimento Indígena Como Ciência, O Cuidado de Saúde na Cultura Indígena, Relato de Experiências Terapêuticas na Medicina Indígena, A Importância da Medicina Tradicional para Fortalecimento da Saúde dos Povos Indígenas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Terra e Cultura

Blog da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro

Blog II da EIBC Pamáali 2014 a 2016

Bem-Vindo ao blog II da escola Pamáali, localizada no Médio Rio Içana-Alto Rio Negro. Aqui você encontra notícias da região do Alto Rio Negro sobre Educação Escolar Indígena e outros assuntos. Deixe seus comentários!

CAIMBRN

Coordenadoria das Associações Indígenas do Médio e Baixo Rio Negro

Blog do Povo Baniwa e Koripako

Nossa presença na Web

Antropologia médica

Diálogos entre pesquisadores latinoamericanos

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Uma (in)certa antropologia

Notas sobre o tempo, o clima e a diferença

Rio Negro

Blog do Ray Baniwa

%d blogueiros gostam disto: